Jesus e seu conceito de Fé


“Jesus, porém, lhes respondeu: Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não somente fareis o que foi feito a figueira, mas até mesmo, se a este monte disserdes: Ergue-te e lança-te no mar, tal sucederá;” (Mt 21:21)

Esse episódio relata uma passagem onde Jesus estava com fome e vendo uma figueira quis retira-lhe o fruto. Vendo que não havia fruto algum, (isso em época de dar fruto) amaldiçoou. Para Jesus a Fé era algo divino, mas que podia se tornar realidade do nosso mundo. O ser humano dúvida, desconfia, questiona isso faz parte de sua natureza. A fé é contrária a dúvida, a fé é certeza, convicção de que o que se quer se fará. Mas essa certeza é um processo, um crescimento continuo enquanto se caminha na vida. Essa fé é resultado da experiência enquanto se vive a verdade no andar. Foi o Mestre mesmo quem disse que a fé pode ser comparada a um “grão de mostarda” que enquanto semente é a menor das hortaliças, mas quando se desenvolve se torna a maior das árvores (isso naquela época). Mas como disse e como as escrituras ensinam, a fé é Don e provém do que é espiritual. Talvez por isso o anseio dos discípulos quando disseram: “aumenta-nos a fé”.

A palavra Fé vem da raiz da palavra “fides” que equivale à fidelidade. Fidelidade é sintonia, harmonia plena. Quando o meu aparelho de rádio está sintonizado com a onda eletrônica emitida pela estação emissora, então o meu rádio apanha nitidamente a música irradiada pela emissora. Isso é sintonia perfeita! Quando o ser humano está em sintonia perfeita com a sua espiritualidade coisas incríveis podem acontecer. Jesus sabia disso e vivia uma espiritualidade na matéria e uma materialidade no espírito. Não havia uma dicotomia entre corpo e espírito, mas existia uma consciência de que o “verbo se fez carne”, ou seja, o espírito se materializou. Jesus via a possibilidade do sobrenatural no natural e isso lhe era a maior normalidade. Não lhe havia crises em saber que o mundo podia ser rodeado de anjos e demônios. Sua consciência divina sabia ver anjos na pureza das criancinhas e identificava diabos nos Judas mundo afora. Em Jesus a vaidade de ser “Rei desse mundo” passou de largo por causa de sua consciência em fé de que o Reino dele não era desse mundo.

Em minha opinião ter fé no mundo em que vivemos hoje parece praticamente impossível para aqueles que ainda possuem essa dicotomia matéria x espírito em suas consciências. A divisão impede a sintonia perfeita! Há pessoas se assustando com invasões alienígenas, assombrações, visita de “espíritos” e outras questões “sobrenaturais” que na verdade podem ser tão naturais quanto imaginamos. Todos os mistérios deixam de ser quando se tem um mínimo de fé, ou o que gosto de chamar de “consciência em Deus”. Vemos anjos e demônios todos os dias e não temos a mínima consciência disso. O “sobrenatural” pode ser tão natural do que aquilo que imaginamos. Já nos disse o célebre Shakespeare: “Há mais mistérios entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia”.

Anderson Luiz

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s