Pobres diabos: iludidos super-heróis


“Se matamos uma pessoa somos assassinos. Se matamos milhões de homens, celebram-nos como heróis.” (Charles Chaplin)

Sempre gostei de desenhos animados! Minha infância passei vendo-os! Como entretenimento os desenhos animados são bons para passar o tempo. Como disseminador de ideologias os desenhos animados pode ser um veneno para aquele que não sabe fazer a separação entre a “realidade” e a “aparência”. Mas vamos falar a verdade: os heróis e os vilões sempre nos fascinaram! O problema é a confusão toda que se cria! Quem é o herói? Quem é o vilão? O herói seria mesmo o “He-man” com sua espada afiada e cortante? O vilão seria o pobre esqueleto que já jaz morto e vencido na sua aparência esquelética? Os “heróis” sempre empunham suas armas de guerra. Eles são patriotas, valentes, guerreiros, capazes dos gestos mais duros para “proteger” o mundo. Querem “proteger” o mundo de outras visões de mundo enquanto a sua deve ser reinante. Os vilões já são vencidos no físico esquálido, na feiúra repugnada, nas intenções “malignas”… Os “heróis” posam com corpos esculturais! Os “vilões” são os estranhos! Os “heróis” são militares, o ser patriótico que desdenha das outras Nações, os grandes da História como Napoleão Bonaparte, Alexandre “o Grande”, os Césares romanos, os Filósofos com suas doutrinações (cada um achando sua filosofia mais correta que a outra). Os “heróis” são os jovens americanos que perdem o melhor da vida lutando por uma causa que eles próprios nem compreendem direito. O orgulho de defender a sua Nação os cega intensamente. Assistiram muito “Capitão América” quando eram pequenos! Os vilões são os Vietnamitas, os Iraquianos, os Comunistas, os Ateus… Nem heróis, nem vilões, apenas humanos cometendo os mais grosseiros erros enquanto se empunha uma arma, enquanto defende a sua ideologia e enquanto erra tentando acertar (ou acerta tentando errar).

Há um tempinho atrás aceitei na rede social Orkut um cara que nem conheço pessoalmente, mas pelas suas “atitudes” já logo identifiquei quem ele era. Comecei a receber uma porrada de recados do tipo de gente iludida em salvar o mundo. Era mensagem ideológica contra o PT, contra a Dilma, contra o aborto, contra o cigarro… Tanta merda que dá vontade de vomitar. A última mensagem foi foda! Passou dos meus limites! O cara veio dizendo merda sobre a Globo (o que não é nenhuma revelação) e sobre a reportagem que mostrava como o vinho podia fazer bem a saúde. Dizia ser uma mensagem subliminar, que o álcool mata, pararapararaparara…. Pobre diabo! Terminava a mensagem falando de Deus e Jesus. Acho que ele nunca deve ter lido que Jesus em uma festa transformou a água em vinho e que era chamado pelos seus inimigos de “bebedor de vinho” (não estou falando que ele era). O problema são os excessos! O cara demonizou uma bebida tão deliciosa, o “néctar dos deuses”, o “elixir da longa vida”. “Vilanizou” uma reportagem tão bacana que, concordo, poderia dar mais ênfases aos excessos e malefícios do álcool.

O cara além de diabolizar a reportagem agora passou a me satanizar só porque resolvi responder a mensagem que me enviou dizendo para ele deixar o extremismo religioso. Disse que ele tinha intenções boas, mas era um absurdo o seu fanatismo. Arrumei um problema: mexi com os demônios dele. O cara me chamou de idiota, de IMBECIL (assim mesmo com letra maiúscula), de FRACO para entender as coisas. Uma ira tão grande por tão pouca coisa de alguém que não tem humildade nenhuma quando é discordado. Será culpa dos desenhos? Fabriqueta de heróis empunhando suas armas! Ele coitado, deve se achar diferente, separado, um herói que faltava em nosso mundo para ir contra a tudo o que nem ele compreende. Se esse é o seu “sentido de vida” e lhe faz bem, respeito. Mas o pobre diabo é um arrogante, um presunçoso que tapa os ouvidos a outras opiniões, um burro com uma visão tapada que só olha pra frente, para o seu objetivo nobre de “salvar o mundo”. E eu, concordo com ele, sou um IMBECIL com letras maiúsculas por ter tido a infelicidade de ter aceitado esse pobre diabo como “amigo” e ficar recebendo seus delírios de herói de desenho animado. Vai na sua força “Capitão América”. Por aqui, eu prefiro ser “vilão”! Às vezes é mais nobre!

Anderson Luiz

 

Um comentário em “Pobres diabos: iludidos super-heróis

  1. Wow, grande protesto! Conspiracionistas paranóicos enchem o saco. Aqui nos Estados Unidos esses cabecinhas ouvem sobre essas correntes de planos maquiavélicos políticos e de mídia e ficam no maior terror, acabam achando que a saída é explodir os Eua. Imagina, agora não é só terrorista querendo acabar com o Tio Sam, seus próprios filhos cospem no prato de fartura que lhes é dado. Amigos se vocês acham que votando em alguém, comendo algo, agindo de certa forma, assistindo certa coisa, se vocês acham que tudo isso está contribuindo pra volta do anti-cristo ou algo do tipo, saibam que primeiramente vocês estão contribuindo com a palavra de Deus. Não tem jeito, não tem herói… o fim acontecerá, gastem seu tempo honrando seus pais, amando, fazendo caridade, e deixe que o mundo se exploda!

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s