Aliens de cueca


“Eu só pediria licença para lembrar que os alienados são precisamente os que têm uma ideia fixa.” (Mario Quintana)

Na Psicologia a alienação acontece quando a consciência torna-se desconhecida a si própria ou a sua própria essência. Não se sabe quem se é! O “outro” exerce uma enorme influência sobre o indivíduo alienado. O alienado parece ser de “outro” mundo, assim como o alien. E essas palavras tem a mesma raiz e significados parecidos. Os alienados perderam sua identidade em nome de outra ou outras, e não se identificam mais. Esquecem de suas consciências! Se anulam na simbiose! As vezes nos alienamos! As vezes percebemos alienados! Algumas vezes identificamos o alien e nos livramos dele.

A pergunta que devem estar me fazendo é: o que tem a ver cueca e alienação? Muita coisa! Pelo menos nessa história verídica. Em um presídio nos EUA, quando presos queriam ter uma relação sexual, tratavam de exibir o seu código secreto. E qual era esse código secreto? Era o seguinte: aquele que andase apresentando suas calças caindo e sua cueca à mostra, era o que estava a fim de uma noite de sexo, sendo esse o passivo na relação. Esses presidiários mal sabiam que criariam uma moda.

A moda originada nos presídios americanos, veio parar no Brasil e mais categoricamente entre os jovens que curtem Funk. Milhares desfilavam (e ainda desfilam) com suas calças caindo e suas cuecas alienadas à mostra, como se usufruíssem da liberdade vestidos daquele modo estranho. Aliens de cueca! Não, eles não sabiam o significado daquilo, a origem do estilo, e nem sabiam que se um ex-presidiário americano os vissem daquela maneira, poderia olhá-los com desejo de lobo. E uma cueca à mostra corroeu o cérebro dos aliens alienados. Pobres marrentos!

Esse é só um dos milhares de exemplos que temos de como o ser humano é alienado, influênciável e manipulado. Ficar longe do rebanho é a melhor escolha? Ficar longe do rebanho é ficar só, mas em uma solidão consciente e saudável. O rebanho segue o fluxo! O rebanho segue a voz dos aliens! O rebanho faz coisa que até um deus dúvida ( e um diabo também). O rebanho defende a “verdade” com a mentira na cintura! Seja na música, na moda, no estilo, no partido político, na religião e nos sistemas humanos (econômico, educacional, religioso, de segurança, etc), o rebanho segue comandos e estímulos. Quem quer ficar só? Quem quer pagar o preço dos profetas?

Anderson Luiz

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s