Sinta-se livre!


“Mas onde se deve procurar a liberdade é nos sentimentos. Esses é que são a essência viva da alma.” (Johann Goethe)

Vamos lá, tente! Sinta-se livre ao imaginar que não teve a escolha de nascer em um país melhor.

Sinta-se livre ao questionar seus valores, crenças e escolhas na vida, motivados pelos seus pais e por sua cultura local.

Sinta-se livre ao perceber que em seu corpo habita genéticamente uma geração numerosa e antiga, que lhe deixou como herança doenças e enfermidades biológicas.

Sinta-se livre ao saber que a morte é certa e dela não há fuga.

Sinta-se livre ao entender que alguns nascem ricos e outros nascem pobres, e isso não depende de nenhum ato seu.

Sinta-se livre ao perceber que para fazer parte da sociedade, é preciso “dançar conforme a música”.

Sinta-se livre quando se caminha para escola com uma mochila pesada, obrigado pelos pais e pelo Conselho Tutelar.

Sinta-se livre ao querer viver uma vida a sós, enquanto socialmente é esquisito aquele que não se casa, não tem filhos e não é “bem-sucedido”.

Sinta-se livre para escolher a sua profissão predileta, aquela que mais lhe dá vontade e prazer de trabalhar.

Vamos lá, tente! Consegue ouvir o barulho das correntes?

Sinta-se livre diante dos olhos das pessoas quando você diz que não tem religião.

Sinta-se livre e viva sem ser um número de CPF, de uma Identidade, de uma senha de banco, de atendimento médico, de uma matrícula em algum serviço…

Sinta-se livre na internet! Vamos, você deveria tentar!

Sinta-se livre ao sair as ruas e saber que existem milhares de câmeras gravando os seus passos a todo o momento.

Sinta-se livre diante da cobrança dos seus pais, diante dos vizinhos, diante da sociedade que quer que você seja um “alguém nessa vida”.

Sinta-se livre com todos os seus documentos, com toda a burocracia existente para se fazer isso ou aquilo outro.

Sinta-se livre nos mercados e compras, hora que temos de pagar com sangue e suor o usufruto do nosso prazer.

Sinta-se livre tentando controlar as doenças! Vamos, brinque com isso! Pode ser muito divertido! Você consegue?

Será que estamos condenados mesmo a sermos livres, como diz Sartre? Ou será que a liberdade é uma falácia inventada? Enquanto o mundo não souber que a “Verdade é que liberta” e que liberdade só temos quando ela habita em nosso espírito, viveremos nessa “anestesia” e “torpor” de achar que somos livres.

Anderson Luiz

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s