Jesus e as leis


“Aconteceu que, num sábado, passando Jesus pelas searas, os seus discípulos colhiam e comiam espigas, debulhando-as com as mãos.

E alguns dos fariseus lhes disseram: Por que fazeis o que não é lícito aos sábados?

… E acrescentou-lhes: O Filho do Homem é senhor do sábado.” (Lc 6:1,2e5)

A lei mosaica dizia que o sábado era um dia de descanso e que nesse dia era proibido qualquer tipo de trabalho. Os fariseus ao verem os discípulos de Jesus colhendo espigas e comendo-as, se indignaram, pois julgaram eles que os mesmos descumpriam um mandamento, uma lei, uma tradição antiga que era seguida por todos com muito respeito. Na cabeça dos fariseus, os discípulos do Mestre e o próprio Jesus, transgrediam a lei do sábado e desrespeitavam as tradições. Jesus, com sua sabedoria e perspicácia, desconstrói com uma simples resposta o argumento dos fariseus: “O Filho do Homem é senhor do sábado”. O que isso quer dizer? Jesus queria dizer aos fariseus que aquele que criou a lei (do sábado ou qualquer outra lei) está acima dela! Quem está acima, é “senhor” e criador. A fome dos seus discípulos naquele momento era maior do que a literalidade de um texto criado por um ser humano. Antes de sermos legalistas, somos humanos e essa nossa humanidade deve estar acima da lei quando isso assim exigir.

Diferente de ter sido um ato de rebeldia contra uma lei, uma tradição, o ato dos discípulos e a resposta de Jesus tinha relação com a necessidade de entender o limite que se põe entre o legalismo (obediência a literalidade das leis) e a liberdade. O ser humano precisa entender que ele está acima das coisas que ele próprio criou e não deve ficar refém delas. O ser humano não é produto das leis, o contrário é que é verdade. Isso vale para tudo o que o homem “criou”, sejam leis, tradições, religiões, filosofias, ideologias, etc. O homem está cima de todas essas coisas! A liberdade e a dignidade da pessoa humana devem estar acima de qualquer escravidão religiosa, de qualquer lei prejudicial a vida e acima de tudo aquilo que fere o direito de ser do homem. Quer dizer que não se deve respeitar as leis, tradições, religiões, filosofias, ideologias…? A questão não é essa! A questão é entender que devemos ter a consciência de que existe um limite que indica que havendo conflito entre o humano e sua criação, o que é humano prevalece, pois é “senhor” e está acima. Só para ilustrar, como condenar os pais que compram remédios proibidos por lei (derivados de maconha) para salvar seus filhos? Outra questão importante é em relação a religião. Como respeitar uma religião que por suas tradições, tortura, humilha, engana e sacrifica vidas humanas? Como não condenar uma ideologia racista, xenófoba, misógina que desqualifica e inferioriza o ser humano? Jesus é senhor do sábado e o Filho do Homem também! O sábado só existe por causa do homem e não o contrário! Que nossa consciência seja expandida para entender que os valores humanos são maiores do que suas criações!

Anderson Luiz

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s