Jesus, o polêmico


“Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. Assim, os inimigos do homem serão os da sua própria casa.” (Mateus 10:34a36)

O Mestre havia dado várias instruções aos seus discípulos e também os advertido do que poderiam enfrentar ao expor suas ideias: a proximidade de um governo de Deus. Nesse contexto, o Mestre Jesus orienta como eles deveriam se portar ao entrar em uma cidade (Mateus 10:11a14) e também os adverte sobre os perigos que enfrentariam (Mateus 10:16a18). Seriam levados a tribunais, castigados, veriam conflitos familiares por conta da mensagem e seriam odiados por causa dela, por conta de suas opiniões e por conta do que Jesus representava (Mateus 10:17a22). No meio dessas orientações e preocupações, Jesus levanta uma polêmica: “Não vim trazer paz a terra, mas espada”. Como assim? O Mestre da paz e amor? Na verdade o Cristo sabia a função de uma polêmica. Segundo dicionários a polêmica tem a função de provocar disputas e causar controvérsias sobre aquilo que está “posto” e “acabado”. Polêmica não é sinônimo de brigas e nem de postura hostil, mas é um meio de tirar as pessoas da “zona de conforto” da mente tacanha delas e uma maneira de despertar o indivíduo para uma opinião e um olhar diferente em relação ao mundo. E nada como um exemplo familiar, nascedouro das polêmicas.

As tradições familiares parecem construídas em um solo rochoso, mas que se mostram frágeis na hora em que um martelete de ideias começa a quebrá-las. Uma ideia é capaz de causar inúmeros conflitos entre pessoas e principalmente entre pais e seus filhos. Imaginem uma ideia revolucionária como a mensagem do Mestre? A polêmica do Cristo quebra tradições passadas de gerações para gerações. A polêmica do Cristo desconstrói o arcabouço religioso, político e ideológico familiar e isso cria conflitos. A polêmica do Cristo leva o filho de mente aberta a questionar o mundo “pronto” e “acabado” do pai de mente fechada e vice-versa. A polêmica do Cristo faz a nora indagar se deve seguir o pensamento retrógrado da sogra. E aí nasce o conflito! Não por culpa da polêmica (que seria uma maneira de acrescentar conhecimento novo), mas por conta do ser humano que se acha “pronto” e “acabado” e não admite que no mundo pode haver muitas outras opiniões sobre um ponto de vista específico. O Mestre não veio trazer conforto e aceitação de um mundo já “pronto”, ele veio trazer a espada, a indagação crítica contra a “ordem estabelecida”, a polêmica que nos tira da “zona de conforto” e nos faz pensar e criar ao invés de só repetir ideias. Ao levarem uma mensagem nova e diferente daquela que o mundo já estava acostumado a ouvir e que a maioria já tinha dada como única, o Mestre sabia o que eles iriam passar: dor, sofrimento, perseguição, difamação, conflitos e exclusões. E assim continua sendo até os dias de hoje, quando um “polêmico” decide não mais ficar na sua “zona de conforto” e aceita empunhar a espada de uma ideia nova. Mas se igualaram o Mestre por conta de suas polêmicas a Belzebu (Mateus 10:24e25), que pretensão é essa achar que seria diferente?

Anderson Luiz

2 comentários em “Jesus, o polêmico

  1. Bacana…! Gostaria se possivel ajude me a ser um polemico verdadeiro, com frazes lindas e perfeitas, abraços a todos, e tenha uma quarta feira difernete com paz e tudo que há em vc seja transformada, em alegria…! Montes Claros-MG Djalma Oliveira

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s