Sobre a frustração


“A insegurança e a frustração levam o homem à violência e à guerra.” (John Lennon)

Frustração é decepção! Decepção ao depositar fé, confiança e esperança em algo ou alguém que no fim, não personifica aquilo que projetamos. E nós seres humanos somos instigados a sempre projetar em algo ou alguém nossos anseios mais honestos e sinceros. Em nós não se encontra somente “sombras”, mas há também luzes de uma lanterna que busca a verdade, o bem, o belo e o justo. Nossa caminhada se dá em sempre tentar matar a nossa sede de justiça, a procura do “homem perfeito” do cínico Diógenes ou daquilo que encarnaria os conceitos que temos como bons de nossa moral atual. Na esperança de alguém personificar aquilo que buscamos, damos um voto de confiança àquele que melhor reproduz os nossos anseios. O fato é que ninguém merece carregar o peso dessa responsabilidade!

Toda frustração é fruto de um valor excessivo dado àquilo que não merece ser tão sobrevalorizado. Quando se dá conta do exagero, a frustração acontece! Não há equilíbrio em uma relação frustrante! O frustrado na verdade quer se livrar do peso da responsabilidade de Ser aquilo que não consegue Ser, e tenta se aliviar dessa carga descarregando-a sobre um outro que ele imagina ser de natureza diferente da sua. Daí surge a frustração! Somos seres frágeis e falhos, possuímos a mesma natureza e não há um justo sequer! Feliz aquele que não se frustra, por que não projeta sobre ninguém algo que ninguém é capaz de Ser! Não há político, não há religioso, não há homem algum que nos salve da frustração! Quando se está nesse estado de sobriedade e equilíbrio, a vida fica mais leve. O homem se sabe um pecador que precisa de ajuda, se entende e não se “embriaga” de esperança em um “salvador” fajuto. Depois da “embriaguez”, ao despertar desse estado de torpor e letargia, vem a ressaca moral. Se instala aquele arrependimento do voto de confiança dado, das defesas feitas, das amizades desfeitas em nome dessa confiança exagerada em algo que nunca mereceu tal exagero. A ressaca moral é a dor da frustração! Mas é nesse momento de dor e decepção que a lucidez vai voltando aos poucos e se dá a oportunidade de colocar a cabeça no lugar e evitar o próximo “gole”.

Anderson Luiz

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s