Tempo da ira


Uma ira desmedida acaba em loucura; por isso, evita a ira, para conservares não apenas o domínio de ti mesmo, mas também a tua própria saúde. (Sêneca)

O ”tempo da ira” é uma expressão bíblica que tem relação com um tempo de vingança e castigo que viria sobre o mundo. Uma expressão que remete a crença em um deus irado, projeção do desejo de vingança dos judeus da velha aliança (registrada no antigo testamento) contra as nações que os oprimiam. “Tempo da ira” faz menção a um futuro com cara de passado, onde Deus era um Zeus com raios nas mãos pronto a descarregar eles sobre a cabeça dos maus e desobedientes. Deus-Zeus, deus projeção judaica, deus “inspirador” de um “olho por olho e dente por dente”, deus da lei de que o que se semeia sempre se colhe sem espaço algum para misericórdia. O deus de muitos “cristãos pós-modernos”!

Se esse tempo tão citado em versos bíblicos chegou, não se sabe, mas o que se sabe é que um “tempo de ira cristã” tem se manifestado no mundo atualmente. O deus-Zeus do antigo testamento está de volta! A ira e a violência é parte do discurso do “cristão pós-moderno” e através desse discurso tem se ganhado eleições mundo a fora. Matar já voltou a ter um gosto doce na boca desse “cristão”, assim como tinha na boca do judeu de outrora que se vangloriava ante mãos sujas de sangue de um Davi ou de um Josué. Matar, torturar, prender, vingar, castigar, desde que feitos em nome do deus-Zeus e que seja para proteger o cidadão de bem que paga impostos, é mais do que admissível… É recomendável! Pena de morte, andar armado e pau-de-arara para o “cristão pós-moderno” têm relação com o mesmo que foi para o judeu a lei do apedrejamento, a espada carregada na bainha e a morte de cruz para criminosos. Às vezes no meio desses “criminosos” morre uma Mariele, como outrora morreu um filho de Deus que foi pendurado sem crime algum numa cruz. “Mas toda guerra morre inocentes”, como disse certo presidente “cristão”, eleito pelo cidadão de bem “cristão” que é servo do deus-Zeus “cristão”.

Dizem que o diabo é um “cristão” exemplar! Ele é chamado de “acusador” porque na mitologia judaica seu nome era Azazel, um demônio que de quando em quando chegava ante o trono de Deus para apresentar os erros e faltas humanas cometidas na terra. Ele os acusava segundo o que ele tinha visto e registrado, para se oferecer como vingança pelo mal feito. Uma espécie de procurador do ministério público celestial que tinha prazer em acusar e buscar uma maneira de castigar os homens por cada erro cometido. Nesse sentido, o diabo é um “cristão pós-moderno”, aquele cristão com desejo de extirpar o “mal” do mundo a qualquer custo. Nem que seja apedrejando, matando, torturando… e cegando para que se faça tudo isso em nome do deus-Zeus, da moral cristã, da proteção a família e da defesa do cidadão de bem. Será que o “tempo da ira” chegou? Se depender do “cristão pós-moderno”, ele fará com que esse tempo chegue logo… e do jeito que o diabo gosta!

Anderson Luiz

 

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s