Sobre o acaso


O nome do maior dos inventores: acaso. (Mark Twain)

Dizem que o mundo é dominado pelas ideias. Se isso é verdade não sei, o que sei é que uma ideia, que deriva de uma lei, tem dominado até hoje a mentalidade humana. Essa lei, que é uma lei da física, tem efeitos no inconsciente coletivo humano, e por sua vez, nas ações humanas! A descoberta pela ciência dessa lei universal de “causa e efeito” (conhecida como lei de Newton), já havia sido materializada desde os primórdios em partes de leis humanas como o “código de Hamurabi” e as “leis de Moisés”. “Olho por olho, dente por dente”, ação e reação, um ciclo vicioso que tem relação com a crença determinista. O determinismo é a crença de que tudo já está determinado e estabelecido e a liberdade não passa de uma ilusão. É um sistema fechado no qual tudo acontece por conta de causas anteriores, tornando os efeitos que se seguem destas causas, necessários e inevitáveis.

Alguns cientistas crêem ter na física quântica uma grande oportunidade de explicar que nem tudo está determinado, nem tudo é efeito de alguma causa e que existem leis que abrem as possibilidades da vida ao acaso. Os “cientistas quânticos” sustentam que as leis quânticas se contrapõem ao determinismo dessa “lei de causa e efeito”, já que dão livre curso às possibilidades.  E isso tem se refletido em discussões filosóficas sobre a liberdade humana e sobre o acaso. A palavra “acaso” vem do latim “a casu”, que quer dizer “sem causa”. Será que tudo na vida é fruto de um determinismo? Será mesmo que a liberdade é uma mera ilusão? Na vida, será que não há realmente espaço para o acaso, para a liberdade e para a manifestação de algo que chamamos como “milagre”? Quão caro pode ser o preço que estamos pagando por não nos abrirmos a novas possibilidades na vida, longe da crença única determinista que insiste que todo efeito é fruto de uma causa! Será mesmo que tudo na vida tem uma causa específica? E o acaso? As leis quânticas podem provar que estamos errados e que ideias erradas tem dominado a nossa mentalidade durante anos. A ideia determinista baseada na lei de Newton pode não ser a única que explica a vida humana. Pensar na possibilidade do acaso, da fé, do milagre e de outras possibilidades de explicação da vida fora de uma crença determinista, é uma realidade que se faz necessária.

Anderson Luiz

Obrigado pela opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s