A razão que cega

“É com o coração que se vê corretamente; o essencial é invisível aos olhos.” (Antoine de Saint Exupéry) Desde a revolução francesa e seu culto a razão, o mundo tem reservado às dimensões humanas da intuição, do sentimento e dos sentidos, um espaço pequeno, além de definir elas como uma espécie de categoria menos importante … Continue lendo A razão que cega

Sede de sangue

“Sacrifício não significa nem amputação nem penitência. (…) Ele é uma oferta de nós próprios ao Ser a que recorremos.” (Antoine de Saint-Exupéry) De onde vem nossa insaciável sede de sangue? É incrível a nossa fome de carniça! Nossos instintos mais animalescos nos convoca a essa caça predatória e selvagem de tudo aquilo que revela … Continue lendo Sede de sangue