Capítulo 2 – A personificação do mal

CAPÍTULO 2 – A PERSONIFICAÇÃO DO MAL ...ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou. Irou-se, pois, sobremaneira, Caim, e descaiu-lhe o semblante. Então, lhe disse o Senhor: Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante? Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes … Continue lendo Capítulo 2 – A personificação do mal

Além do bem e do mal

"Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal." (Friedrich Nietzsche) O que é viver além do bem e do mal? Entender que “bem” e “mal” são categorias relativizadas e invenções humanas, parece ser o primeiro passo para viver além dessas definições. O que é mal? O que é o … Continue lendo Além do bem e do mal

Chorei!

"Chorar é diminuir a profundidade da dor." (Willian Shakespeare) Chorei ao ver aquelas bandeiras brancas significando o anseio de uma população terrivelmente oprimida há anos e vê no poder de coerção do Estado a sua “libertação”. Chorei ao imaginar as pessoas de bem presas em suas próprias casas e sem poderem se mover por um … Continue lendo Chorei!

Sobre a morte e a doença

É na morte e na doença que nós aprendemos que as diferenças são insignificantes, o status social é insustentável, o preconceito é ridículo, a cor da pele é apenas a demonstração da riqueza da natureza...É na morte e na doença que os conceitos, os títulos, as definições se convergem para uma única apenas: a do ser humano. Diante da morte e da doença não existe prostitutas, artistas, anônimos, empresários, ricos, pobres, devotos, ateus, santos, profanos... Na morte e na doença o ser humano é nivelado e volta a ser o que apenas não deveria deixar de ser nunca: ser humano.